Perve Galeria

Seattle Art Fair 2024 | Lumen Field Event Center | 25 - 28/07/2024

seattle jas pg

PT| De 25 a 28 de julho de 2024, a Perve Galeria apresenta um projeto especial dedicado a João Artur da Silva (nascido em 1928), no VIP Lounge e no stand F01 da Seattle Art Fair, que terá lugar no Lumen Field Event Center. Com curadoria de Carlos Cabral Nunes, a exposição homenageia este artista de origem portuguesa, com cidadania britânica e canadiana, que, aos 95 anos, continua artisticamente ativo. Depois de um hiato voluntário de 30 anos de exposições públicas, desde que se radicou na Colúmbia Britânica, no Canadá, João Artur da Silva regressa este ano à cena artística. Após uma exposição individual na Casa da Liberdade - Mário Cesariny no início de 2024, este assume-se como um momento de imenso orgulho em que mostrarmos pela primeira vez a sua obra nos Estados Unidos da América. 

ENG| From July 25 to 28, 2024, Perve Galeria is presenting a special project dedicated to João Artur da Silva (born 1928), in the VIP Lounge and at booth F01 at the Seattle Art Fair, which will take place at the Lumen Field Event Center. Curated by Carlos Cabral Nunes, the exhibition pays tribute to this artist of Portuguese origin, with British and Canadian citizenship, who, at the age of 95, is still artistically active. After a 30-year voluntary hiatus from public exhibitions, since settling in British Columbia, Canada, João Artur da Silva returns to the art scene this year. After a solo exhibition at Casa da Liberdade - Mário Cesariny at the beginning of 2024, this is a very proud moment to show his work for the first time in the United States of America. 

Catálogo da exposição / Exhibition's Catalogue 

Obras em Expoisção / Artworks on show

 

PT|

SEATTLE ART FAIR

VIP Lounge e Stand F01

Localização: Lumen Field Event Center

Noite de inauguração
Quinta-feira, 25 de julho: 6-9pm

Horário regular
Sexta-feira, 26 de julho: 11:00 às 19:00
Sábado, 27 de julho: das 11h às 19h
Domingo, 28 de julho: das 11h00 às 18h00

 

PT| A Perve Galeria tem o prazer de apresentar na Seattle Art Fair uma exposição individual com a obra de João Artur da Silva (nascido em 1928). Este notável artista multidisciplinar, de origem portuguesa, mas com cidadania britânica e canadiana, estabeleceu-se na Colúmbia Britânica em 1991 e continua artisticamente ativo aos 95 anos de idade.

Entre obras fundamentais da sua extraordinária carreira, muitas das quais nunca antes expostas, é dada a oportunidade de descobrir o trabalho deste artista fundamental, cuja escolha de operar à margem do sistema artístico nas últimas três décadas resultou no sub-reconhecimento da sua obra. A Perve Galeria procura colmatar esta lacuna através de um programa internacional de homenagem ao artista, garantindo que a sua obra e carreira tenham o reconhecimento que merecem em vida.

Com um percurso marcado pela inovação e perseverança, João Artur da Silva abraçou a criação artística aos 18 anos, depois de ter sido operado em Inglaterra para corrigir a sindactilia, uma malformação congénita rara que faz com que os dedos fiquem visivelmente unidos.

Depois de participar em várias exposições colectivas em Lisboa, o artista juntou-se aos Surrealistas Portugueses em 1949, sendo o único fundador deste grupo fundamental ainda vivo. Devido ao ativismo do grupo contra a ditadura portuguesa, João Artur viu-se confrontado com dificuldades de passaporte até 1958.

Nesse ano, mudou-se para Inglaterra, onde se dedicou a vários meios, incluindo têxteis (desenhando para a Harrod's e a Liberty's), fotografia (realizando notáveis experiências analógicas), escultura e pintura. Ao longo das décadas de 1960 e 1970, expôs o seu trabalho em galerias e instituições londrinas, obtendo o reconhecimento de artistas conceituados como Henry Moore e Lynn Chadwick, bem como de figuras notáveis do mundo da arte como Sir John Rothenstein, James Laver, Eric Newton e Lord Amulree.

Depois de residir em Portugal, o artista mudou-se para a Colúmbia Britânica, no Canadá, em 1991, tornando-se cidadão canadiano em 2012. Apesar da sua produção artística contínua, afastou-se das exposições e do mercado de arte ao estabelecer-se no Canadá, interrompendo o reconhecimento do seu trabalho desenvolvido em Inglaterra e Portugal. Recentemente, decidiu retomar este percurso, confiando à Perve Galeria a sua representação exclusiva até ao final de 2023.

No âmbito desta representação, estreou na Casa da Liberdade - Mário Cesariny, em janeiro de 2024, a exposição "Regresso, Desvelamento e Vida". Este facto marcou o início de um programa especial de tributo orquestrado pela Perve Galeria em honra do artista, que teve a sua segunda fase em Vancouver, e agora segue para o Noroeste da América do Norte, até à costa do Estado de Washington, para a Feira de Arte de Seattle. Pretende-se assim colmatar o desconhecimento generalizado do percurso e da obra de João Artur da Silva junto do público artístico e das instituições com ele relacionadas, celebrando-o como um artista verdadeiramente singular.

 

ENG |

SEATTLE ART FAIR

VIP Lounge & booth F01

Location: Lumen Field Event Center

Opening Evening
Thursday, July 25th: 6—9pm

Public Hours
Friday, July 26th: 11am—7pm
Saturday, July 27th: 11am—7pm
Sunday, July 28th: 11am—6pm

 

Perve Galeria proudly unveils at Seattle Art Fair a solo exhibition featuring the artwork of João Artur da Silva (born in 1928). This remarkable multidisciplinary artist, hailing from Portugal yet holding British and Canadian citizenship, settled in British Columbia in 1991, and continues to be artistically active at the age of 95. 

Amongst fundamental artworks of his extraordinary career, many of which have never been shown before, it is given the opportunity to discover the artwork of this fundamental artist, whose choice to operate on the margins of the art system over the last three decades has resulted in his work being under-recognised. Perve Galeria endeavors to rectify this oversight through an international programme honoring the artist, ensuring that his work and career receive the acknowledgment they deserve during his lifetime.

With a journey characterized by innovation and perseverance, João Artur da Silva embraced artistic creation at the age of 18, after surgery in England to correct his syndactyly, a rare congenital malformation that causes the fingers to be visibly joined. 

Following participation in various group exhibitions in Lisbon, the artist joined the Portuguese Surrealists in 1949, being the only remaining founder of this pivotal group still alive. Due to the group's activism against the Portuguese dictatorship, João Artur encountered passport challenges until 1958. That year, he relocated to England, where he delved into various mediums, including textiles (designing for Harrod's and Liberty's), photography (conducting notable analogue experiments), sculpture, and painting. Throughout the 1960s and 1970s, he showcased his work extensively in London galleries and institutions, earning recognition from esteemed artists like Henry Moore and Lynn Chadwick, as well as notable figures in the art world such as Sir John Rothenstein, James Laver, Eric Newton, and Lord Amulree.

After residing in Portugal, the artist relocated to British Columbia, Canada in 1991, becoming a Canadian citizen in 2012. Despite his continuous artistic output, he withdrew from exhibitions and the art market upon settling in Canada, pausing the recognition of his work developed in England and Portugal. Recently, he decided to resume this journey, entrusting Perve Galeria exclusively with his representation by the end of 2023.

As part of this representation, the exhibition "Return, Unveiling and Life" opened at Casa da Liberdade - Mário Cesariny in January 2024. This marked the beginning of a special tribute program orchestrated by Perve Galeria in honor of the artist, which had its second phase in Vancouver, and is now heading to the Northwest of North America, to the coast of Washington State, for the Seattle Art Fair. It's aim is to remedy the widespread ignorance of João Artur da Silva's career and work among the artistic public and related institutions, celebrating him as a truly unique artist.