Perve Galeria

Ciclo de Celebração do Centenário de Mário Cesariny / Mário Cesariny's Centenary Celebration Cycle | 9/08 > 26/11/2023

 Banner site CC

 

PT| A 9 de agosto, dia em que se assinala o centenário de nascimento de Mário Cesariny de Vasconcelos (1923-2006), a (sua) Casa da Liberdade e a Perve Galeria têm a honra de inaugurar, pelas 18h, "Primeira Pessoa" e "... e os seus contemporâneos"duas exposições que celebram a extraordinária vida e o profundo legado daquele que é uma das personalidades maiores das artes e da poesia em Portugal. Explorando o seu compromisso inabalável com a liberdade, entre uma parte significativa de material inédito, são apresentadas centenas de documentos, fotografias, textos e obras de arte, de Cesariny e de vários autores seus contemporâneos. O melhor é que o público vai poder levar consigo cópias numeradas deste amplo espólio documental, que certamente permitirá múltiplas e variadas revelações.


ENG| On August 9th, the day that marks the centenary of Mário Cesariny de Vasconcelos (1923-2006), (his) Freedom’s House and Perve Galeria have the honour of opening, at 6pm, "Primeira Pessoa" and "... e os seus contemporâneos", two exhibitions that celebrate the extraordinary life and profound legacy of one of the greatest personalities of the arts and poetry in Portugal. Exploring his unwavering commitment to freedom, among a significant part of unpublished material, hundreds of documents, photographs, texts and works of art by Cesariny and several of his contemporaries are presented. The best thing is that the public will be able to take with them numbered copies of this extensive documentary collection, which will certainly allow multiple and varied revelations. 

 

Galeria de imagens de "Primeira Pessoa" | "Primeira Pessoa" image gallery: link

Galeria de imagens de "... e os seus contemporâneos" | "...e os seus contemporâneos" image gallery: link

Catálogo do Centenário | Centennary Catalogue: link

 

 

Casa da Liberdade - Mário Cesariny

Primeira Pessoa

9 agosto - 26 novembro | August 9th - November 26th

3.ª - sáb: 14h - 20h | Tue - Sat: 2pm - 8pm

 

Perve Galeria

... e os seus contemporâneos

9 agosto - 26 novembro |August 9 - November 26

3.ª - sáb: 14h - 20h | Tue - Sat: 2pm - 8pm

 

PT|

Pela caligrafia e voz própria de Mário Cesariny, "Primeira Pessoa", na sua Casa da Liberdade, apresenta um notável conjunto de documentos inéditos provenientes dos vários espólios que a instituição alberga, permitindo aceder de forma única à dimensão humana, espiritual e criativa do autor, que via no fazer artístico a essência fundamental da existência do homem livre. Entre correspondência, fotografias, poemas e obras visuais, destaca-se, a título de exemplo, a correspondência com a escultora e poeta surrealista Isabel Meyrelles (1929, Portugal), ou aquela trocada com Yoko Ono, onde a artista lhe encomenda uma obra para homenagear John Lennon no Central Park, em Nova Iorque, obra essa também patente na exposição.

Na Perve Galeria destacam-se as relações profícuas estabelecidas entre Cesariny "... e os seus contemporâneos", mediante a apresentação de correspondência, fotografias e obras visuais que sublinham, entre outros aspetos, as suas colaborações com surrealistas portugueses e internacionais, e a sua relação crítica, assertiva, com alguma da tradição nacional. Revelando o impacto do autor, e do Surrealismo Português, não só em Portugal como no contexto mais vasto do mundo, também no da Lusofonia, a mostra é pontuada pela obra de artistas africanos que denota afinidades com a de Cesariny, como a de Ernesto Shikhani (1934-2010, Moçambique), Inácio Matsinhe (1945, Moçambique), Malangatana Ngwenya (1936-2011, Moçambique), Manuel Figueira (1938, Cabo Verde) ou Reinata Sadimba (1945, Moçambique).

Pelas duas mostras, mediante a apresentação de centenas de materiais inéditos numa instalação concebida pelo curador Carlos Cabral Nunes, acede-se ao permanente esforço de resistência de Mário Cesariny face aos diferentes movimentos que procuraram silenciar a necessidade de expressão libertadora. Afirma-se assim a sua proposta permanente de revolução poética, plástica e social, cujos ecos ainda hoje se encontram em muitas das manifestações artísticas e sociais contemporâneas.

"Primeira Pessoa" e "... e os seus contemporâneos" estarão patentes até 26 de novembro, dia em que se assinalam 17 anos volvidos sobre a morte de Cesariny, permitindo também desse modo assinalar o 10.º aniversário da Casa da Liberdade, a 2 de novembro, com duas mostras que celebram a inspiração maior por trás da sua fundação.

 

ENG|

Through the handwriting and voice of Mário Cesariny, "Primeira Pessoa", on show at his Freedom's House, presents a remarkable set of unpublished documents from the various collections that the institution houses, allowing unique access to the human, spiritual and creative dimension of the author, who saw in artistic endeavour the fundamental essence of the existence of the free man. Among correspondence, photographs, poems and visual artworks, we highlight, for example, the correspondence with the surrealist sculptor and poet Isabel Meyrelles (1929, Portugal), or the one exchanged with Yoko Ono, where the artist commissioned an artwork to honour John Lennon in Central Park, in New York.

"... e os seus contemporâneos", at Perve Galeria, highlights the fruitful relations established between Cesariny and his contemporaries, through the presentation of correspondence, photographs and visual works that emphasise, among other aspects, his collaborations with Portuguese and international surrealists, and his critical, assertive relationship with some of the national tradition. Revealing the impact of the author, and of Portuguese Surrealism, not only in Portugal but also in the wider context of the world, including Lusophony, the exhibition is punctuated by the artworks of African artists who show affinities with Cesariny's, such as Ernesto Shikhani (1934-2010, Mozambique), Inácio Matsinhe (1945, Mozambique), Malangatana Ngwenya (1936-2011, Mozambique), Manuel Figueira (1938, Cape Verde) or Reinata Sadimba (1945, Mozambique).

Through the two exhibitions, by presenting hundreds of unpublished materials in an installation conceived by the curator Carlos Cabral Nunes, one can access Mário Cesariny's permanent effort of resistance against the different movements that sought to silence the need for liberating expression. This affirms his permanent proposal of poetic, plastic and social revolution, whose echoes are still found today in many contemporary artistic and social manifestations.

"Primeira Pessoa" and "... e os seus contemporâneos" will be on display until 26 November, the day that marks 17 years since Cesariny's death, thus also allowing us to mark the 10th anniversary of Casa da Liberdade, on 2 November, with two exhibitions that celebrate the greatest inspiration behind its foundation.

 

Artistas representados / Represented Artists

Agostinho Santos, Alberto Cedrón, Aldina, António Paulo Tomáz, Arpad Szenes, Artur Bual, Benjamin Marques, Borderlovers, Cabral Nunes, Carlos Eurico da Costa, Claude Yersin, Cruzeiro Seixas, David Evans, Ernesto Shikhani , Eugenio Granell, Eurico Gonçalves, Fernando José Francisco, Fernando Lemos, Figueiredo Sobral, Frida Vancrevel, Gerald Stack, Gonçalo Duarte, Hein Semke, Henri Cartier-Bresson, Henrique Risques Pereira, Inácio Matsinhe, Isabel Meyrelles, Jacinto Luís, Jan Schlechter Duvall, João Ayres, Jorg Remé, Jorge Vieira, José Escada, José Francisco Aranda, José Luis Cuevas, Laurens Vancrevel, Leonor Fini, Lud, Malangatana Ngwenya, Man Ray, Manuel Figueira, Manuel Viola, Mário, Botas, Mário Cesariny, Pancho Guedes, Paulo Bruscky, Pedro Oom, Phillip West, Picasso, Raúl Perez, Reinata Sadimba, Ricardo Casimiro, Rik Lina, Rosa Ramalho, S. Nunes, Salette Tavares, Teresa Balté, Teresa Roza d'Oliveira, Victor Brauner, Vieira da Silva, Wifredo Lam.