deneme

Benjamin Marques e Eurico Gonçalves em exposição | 14.10 > 15.11.2014

  • Imprimir
EU BM
CASA DA LIBERDADE - MÁRIO CESARINY e PERVE GALERIA  | Localização: mapa | HORÁRIO: 2ª feira a Sábado, das 14h às 20h
 
PERVE GALERIA de Alfama apresenta entre 14 de Outubro e 15 de Novembro, a exposição “Galáxias e Dada-Zen” com obras de Benjamin Marques e Eurico Gonçalves e curadoria de Carlos Cabral Nunes.
A exposição decorre em parceria com a CASA DA LIBERDADE - Mário Cesariny e constitui uma evocação por Eurico Gonçalves a três importantes figuras do panorama artístico nacional: o poeta e pintor Mário Cesariny; o crítico e historiador de arte recentemente desaparecido, Rui Mário Gonçalves (seu irmão) e o pintor Benjamin Marques, falecido em 2012.
Trata-se ainda da 1ª mostra póstuma de Benjamin Marques, a quem se presta merecida homenagem pelo papel desempenhado na representação de Portugal ao longo das mais de 5 décadas vividas em Paris, estando patente um importante conjunto de obras da sua autoria, algumas das quais inéditas.
De Eurico Gonçalves apresentam-se trabalhos que prepassam todas as fases da sua criação artística, com especial destaque para as que, assumindo uma estética caligráfica, revelam a sua adesão ao Surrealismo e ao Zen e que se inscrevem no domínio da renovação do abstracionismo lírico. Muitas destas obras são também inéditas, tendo como proveniência a colecção particular de Rui Mário Gonçalves.
Benjamin Marques faleceu em Paris, em 2012, onde se exilara no decurso da ditadura, após ter-lhe sido retirada a nacionalidade pelo governo de Salazar. Ali empreendeu um trajecto artístico de assinalável expressão, realizando inúmeras exposições que lhe valeram vários prémios.
Tal como Benjamin Marques, Eurico Gonçalves reivindica uma herança surrealista e é aí que reside a afinidade criativa de ambos mas não só: a presença da dimensão onírica num e a serenidade Zen noutro são também sinal de uma comunhão plástico-doutrinária.
Produto de uma adesão existencial ao surrealismo, Eurico realiza a sua pintura-escrita em gestos contínuos e automáticos, numa atitude subsidiária do automatismo psíquico puro de génese surrealista. Dela resulta um certo orientalismo que se evidência na exploração da escrita oriental na sua plasticidade e na sua componente gestual.
A relação frutífera entre surrealismo, pintura-escrita, pintura-poesia, automatismo, zenismo, sonho e gestualismo conferem a este pintores do meio artístico português uma rara qualidade.