deneme

Cadavre - Trop - Exquis de Cruzeiro Seixas, Isabel Meyrelles e Benjamin Marques

  • Imprimir

Cadavre_bn_st1

 >>> Clique para ver: Obras em exposição | Imagens da Inauguração | Folha de Sala | Dossier de Imprensa

A exposição “Cadavre - Trop – Exquisinaugurou no dia 30 de Setembro de 2010 às 18h, na Perve Galeria, de Alfama.

Tratou-se de uma mostra que, pela primeira vez, reúniu três importantes autores do movimento surrealismo português: Cruzeiro Seixas (prestes a cumprir 90 anos de idade, foi fundador, com Cesariny e demais companheiros de “Os Surrealistas”, grupo que em 1949 realiza a sua 1ª exposição), Isabel Meyrelles (responsável, com Natália Correia, do mítico “Botequim”, lugar onde a tertúlia e poesia eram uma constante) e Benjamin Marques (membro do “Grupo do Café-Gelo”, liderado por Cesariny, que, nos anos 60, sucedeu a “Os Surrealistas”).

Radicados em França, Isabel Meyrelles e Benjamin Marques, no decurso da ditadura em Portugal, empreenderam trajecto artístico de assinalável expressão, realizando em Paris inúmeras exposições e recebendo vários prémios e comendas.

Isabel Meyrelles, Cruzeiro Seixas e Benjamin Marques, que jamais haviam exposto em conjunto, revelaram aqui, numa mostra singular, a excelência de um trabalho de encontro onde foi possível descobrir as marcas perpetuadas pelo vínculo inicial aos membros do grupo “Os Surrealistas” quer através dos trabalhos individuais quer através de um conjunto inédito de cadavres-esquis ( ver imagens )  e cadavres-trop-esquis realizados conjuntamente.

Passados 4 anos sobre a mostra “Cesariny, Cruzeiro Seixas, Fernando José Francisco e o passeio do Cadáver Esquisito” (que reuniu esses 3 fundadores de Os Surrealistas na Perve Galeria após 55 anos de afastamento), realizou-se esta exposição onde o cadáver se tornou mais do que esquisito, ao ponto de ser fascinante, quase em demasia. É um cadáver Trop-Exquis que junta escultura, desenho, fotografia, colagem e pintura, tudo em torno de um só objectivo ou vaso comunicante: o Surrealismo e seus infindos caminhos revolucionários plenos de Liberdade-Amor-Poesia, trilogia fundamental do movimento.