Perve Galeria

Exposições

Exposição LivrAr.te | Patente até 29 Maio 2010

Livrart

Exposição integrada no 555 - Ciclo Gutenberg, dá expressão ao trabalho editorial e de investigação sobre livros de arte e de artista que a Perve Galeria tem vindo a realizar nos últimos anos, apresentando-se agora extenso conjunto de obras de arte realizadas sob a forma de livro, através das quais se dignifica e exalta a obra de escritores e artistas plásticos nacionais e internacionais, ligados a movimentos e expressões incontornáveis na história da cultura do século XX (do surrealismo ao experimentalismo, à pop-art, etc).  

A exposição, que tem curadoria de Carlos Cabral Nunes, com colaboração de Alberto Pimenta,  conta ainda com performances sonoras de Vítor Rua e artistas seus convidados, ocorrendo aos Sábados (15, 22 e 29 de Maio), sempre às 21h. A partir dela, de igual forma ao que sucedeu nas sessões anteriores do "555 - Ciclo Gutenberg", é editado um objecto artístico disponibilizado ao público numa edição limitada a 200 exemplares assinados e numerados pelos artistas intervenientes.

Para mais informação, clique nas seguintes opções: Listagem e descrição das obras | Imagens das ObrasImagens de Livros ArtísticosDesdobrável da Exposição | Fotografias da Exposição 

Autores representados: Alberto Pimenta, Ana Hatherly, António Aragão, António Ramos Rosa, Arpad Szenes, César Figueiredo, Cruzeiro Seixas, Dante Alighieri, E.M. de Mello e Castro,  Eurico Gonçalves, Fernando Aguiar, Fernando Arrabal, Herberto Hélder, Hilda Paz, Júlio Pomar, Luíz Pacheco, Lurdes de Castro, Mário Cesariny, Miguel Graça Moura, Paula Rego, René Bértholo, Salette Tavares, Salvador Dalí, Vieira da Silva, entre muitos outros.

Performance sonora de Vítor Rua e DWART

Performance_Vitor_RuaPerformance sonora de Vítor Rua e DWART | Perve Galeria - Alfama|  15 de Maio  - 21h 30

 No contexto da exposição LivrAr.te, decorre no próximo Sábado, dia 15, às 21h, na Perve Galeria de Alfama, uma performance sonora e visual a cargo de Vítor Rua com a participação de D.W. Art (artista que fará manipulação sonora com recurso a sintetizadores e computador).

 Esta performance, tal como a que decorreu na inauguração da exposição, dia 6 de Maio e como as que vão ser realizadas nos dias 22 e 29 de Maio, acontece de forma complementar à exposição LivrAr.te na medida em que aborda uma questão central que se coloca à civilização contemporânea: a criação artística e a arte como vias e garantias de continuidade - da espécie e do livro enquanto suporte de criação.

Para mais informação, clique nas seguintes opções: Súmula da Performance e Bibliografias de Vítor Rua e DWARTE

555 - Ciclo Gutenberg | Inaugura a 19 de Janeiro

 

Guten_S1Registo de Viver |19 de Janeiro - Perve Galeria

No ano em que passam 555 anos sobre o lançamento da primeira impressão da Bíblia por Gutenberg – figura a quem a história atribui o mérito central da invenção da imprensa - a Perve Galeria apresenta um ciclo comemorativo, que se estenderá por todo o ano, dedicado à reflexão sobre o papel revolucionário que a impressão teve e tem na humanidade, procurando alargar essa abordagem à possibilidade, que se vislumbra, de mudança de paradigma por via da utilização massificada das tecnologias digitais.
O Ciclo Gutenberg, inicia-se a 19 de Janeiro às 18.30h, com a sessão expositiva “Registo de Viver” de Alberto Pimenta, na Perve Galeria, em Alfama, e estará patente durante cinco dias, até dia 23 deste mês. Ao longo do ano, mensalmente, várias gerações de autores, de distintas disciplinas artísticas e científicas, nacionais e internacionais, irão realizar sessões de igual duração no âmbito do 555 - Ciclo Gutenberg, sendo que em cada uma será produzido um objecto artístico, em edição limitada, que será disponibilizado ao público. A primeira edição, fruto da sessão "Registo de viver" de Alberto Pimenta, conjuga a edição limitada do poema homónimo, inédito, com um filme em DVD da performance fonética/poética que lhe subjaz, realizada pelo autor e pela soprano Manuela Moniz.
Sobre esta sessão inaugural do 555 - Ciclo Gutenberg, poderá ler um texto de Alberto Pimenta.

 

Acervo Aberto | De 9 a 23 de Dezembro

Acervo_Aberto
Acervo Aberto” é o mote que serve de designação à exposição que apresenta, de forma abrangente, o conjunto de obras representativas dos diferentes núcleos e autores com que a galeria tem vindo a trabalhar no decurso da última década, com o desejo de marcar a diferença no panorama da arte contemporânea em Portugal e sob um discurso persistente de intervenção.
Em conformidade, Perve Galeria e a recém-inaugurada galeria Perve-CeutArt, abrem as portas do seus acervos numa exposição votada à experimentação pelo visitante.
Esta é sem dúvida uma exposição marcante, não apenas pela importância histórica de grande parte das obras e autores presentes como pela interessante mostra de formas e estilos que proporciona.
As galerias exibem, de forma articulada, um imenso conjunto que abrange o universo artístico da Lusofonia, o Surrealismo em Portugal, um número considerável de Autores Internacionais e de autores que se posicionam no campo da Arte Emergente.
A fim de, de forma sustentada, dar a conhecer a riqueza deste acervo, a Perve Galeria e a Perve-CeutArt mostram ainda, em exclusivo e pela primeira vez, parte considerável do seu arquivo documental, constituído e enriquecido ao longo dos anos por via de uma acção diligente e persistente de pesquisa e aquisição de documentos-testemunho relevantes, muitos dos quais provenientes de espólios de importantes colecções particulares dispersas.

 

>>> Para ver mais, clique nas seguintes opções: Obras em Acervo | Obras em Exposição na Perve Galeria | Obras em Exposição na Perve-CeutArt

Manuel Figueira | Exposição antológica | Perve-CeutArt | Até 28 de Novembro

Manuel_Figueira

 

Está patente até 28 de Novembro, na nova galeria Perve-CeutArt, em Alcântara, a exposição individual de Manuel Figueira autor caboverdiano nascido em 1938. A mostra, que teve curadoria de Carlos Cabral Nunes, tem carácter retrospectivo, sendo dedicada à produção artística do autor entre os anos 60 e a actualidade. Aolongo da exposição, é apresentado, com preço especial de lançamento, o múltiplo artístico da emblemático obra “Motim”, que Manuel Figueira realizou em 1964.